menu

Projeto Puma II movimenta 2 mil vagas de emprego

Captação da maior parte dos trabalhadores, cerca de 1,2 mil, ocorreu em Ortigueira e no entorno, em Imbaú e Telêmaco Borba


A Klabin constrói em Ortigueira, na região dos Campos Gerais, o maior investimento privado já realizado por uma empresa no Estado do Paraná. Orçado em R$ 9,1 bilhões, o Projeto Puma II foi iniciado nos últimos dias de junho, e tem o cronograma de execução estruturado em 48 meses, ou seja, quatro anos. Mesmo assim, basicamente no início da obra, com menos de um décimo desse cronograma mensal em curso, o canteiro de obras já soma uma grande quantidade de operários: segundo a empresa, até o final de setembro, a mobilização no local da obra já contabilizou cerca de 2 mil trabalhadores, sendo a maioria, cerca de 1,2 mil, de Ortigueira e municípios vizinhos. A companhia prevê que até 11 mil pessoas trabalharão no local no pico das obras.

A nova fábrica está sendo erguida no mesmo complexo fabril já existente da Klabin, onde está instalada a Unidade Puma I, inaugurada em 2016. O novo empreendimento será edificado para a construção de duas máquinas de papel para embalagens (kraftliner), com produção de celulose integrada. A maior parte dos equipamentos será instalada nesta primeira etapa do projeto, que será concluída até junho de 2021, a qual demandará dois terços do desembolso, ou seja, R$ 6 bilhões em investimentos.

Para contratar os profissionais da área da construção, a Klabin assegurou manter a prática de valorizar a contratação de mão de obra local, reiterando que sua intenção é de que todas as vagas possíveis sejam preenchidas prioritariamente pela população de Ortigueira, Telêmaco Borba e Imbaú, assim como municípios da região. Em nota, a Klabin informou que mais da metade dos trabalhadores foram selecionados nesses três municípios. “Cerca de 60% são de Ortigueira, Telêmaco Borba, e Imbaú; 20% de outros municípios paranaenses e 20 % de outros estados”, descreveu. As contratações são feitas por meio das Agências do Trabalhador desses municípios.

A companhia também informou que estão sendo oferecidos continuamente diversos cursos de qualificação e formação para que profissionais dos municípios da região tenham acesso aos empregos – tanto na fase de implantação da nova planta, como também depois, na operação das áreas fabris e florestais. Para exemplificar, estão em andamento cursos exclusivos para Ortigueira, como turmas de ‘armador de ferragem’, uma turma  de ‘pedreiro de alvenaria’; e outra em ‘técnico em mecânica’. Para Imbaú, foram abertas, até esta sexta (11), vagas para duas turmas de aperfeiçoamento em soldagem


Unidade produzirá papel ‘kraft’

A primeira fase de implantação será para a construção e instalação da 1ª máquina, que produzirá papeis para embalagens de baixa/média gramatura (80 a 200 g/m²). Para isso, utilizará 100% de fibras curtas. Sua produção, de papel ‘Kraftliner’ e ‘Kraftliner Branco’, terá capacidade de 450 mil toneladas anuais. Já a segunda etapa contempla a instalação de outra máquina, responsável por produzir papéis de média e alta gramatura (150 a 300 g/m²), utilizando fibras mistas, com capacidade de produção de 470 mil toneladas por ano.


Desenvolvimento

O empreendimento tem potencial de geração de ICMS incremental no Estado do Paraná de até R$ 200 milhões por ano, favorecendo o desenvolvimento das comunidades locais. Além disso, haverá impacto positivo na região em função da geração de impostos. O valor inicial gasto pela empresa com os impostos será de R$ 1 bilhão.




Últimas Notícias
RC Coluna 12/10/2019 ás 02:47h
Campos Gerais 12/10/2019 ás 00:12h
Ponta Grossa 11/10/2019 ás 22:30h
Campos Gerais 11/10/2019 ás 21:00h
Campos Gerais 11/10/2019 ás 20:53h
Destaques
Fluidos Positivos
Paulo Coelho
VÍDEOS
Mix
/img/cover/280000/cover_00288965_00.jpg
+ Empregos
+ Bom Dia Astral
+ Romulo Cury
+ Variedades