menu

13º injetará R$ 327 mi na economia de PG

Montante se refere aos R$ 246,7 milhões pagos para os trabalhadores e R$ 80,4 milhões aos aposentados 


Os ponta-grossenses terão mais recursos, provindos do 13º salário, para gastar no final deste ano. Estudo do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) aponta que a Gratificação Natalina, para aos 88,7 mil trabalhadores com carteira assinada, irá injetar R$ 246,75 milhões na economia municipal neste ano. Esse montante é quase 8% superior aos R$ 228,8 milhões registrados no ano passado. Se somados aos cerca de R$ 80 milhões liberados aos 51,1 mil aposentados e pensionistas do INSS, o valor movimentado supera a marca de R$ 320 milhões neste ano. 

Nesta conta, cabe destacar que está contabilizado o valor bruto, sem os descontos cabíveis que incidem na segunda parcela do imposto. A primeira parcela deve ser paga até o dia 30 de novembro, e a segunda até o dia 20 de dezembro. O INSS, por exemplo, já antecipou a primeira parcela, entre os meses de agosto e setembro, e a Prefeitura de Ponta Grossa também já antecipou a primeira parcela aos mais de oito mil servidores, liberando R$ 12 milhões no mês de julho. As empresas podem também optar pagar em apenas uma parcela, mediante acordo com os colaboradores, e caso isso ocorra, o valor deve ser pago até o dia 30 deste mês de novembro.

Como explica o presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Ponta Grossa (Sindilojas PG), Jose Loureiro Neto, esse recurso é bastante esperado, não apenas para os trabalhadores e aposentados ou pensionistas, mas também pelos empresários do comércio, que ampliam as vendas. “É o primeiro respiro do comércio, esse 13º que está sendo liberado”, resume. Como ele explica, essa primeira parcela, paga até o dia 30, geralmente vai para pagar dívidas e limpar o nome. Mas nos últimos anos, quem recebe antes do dia 30, também tem guardado por outro motivo “Muitos estão guardado para comprar na Black Friday: as pessoas guardam para comprar à vista, mais barato”, relata Loureiro. 

No ranking estadual, Ponta Grossa é sexta cidade do Paraná em recursos injetados a partir do 13º pago a trabalhadores formais. A cidade com a maior liberação é Curitiba, onde R$ 3,7 bilhões serão movimentados, pagos a 903 mil trabalhadores com carteira assinada. Logo depois aparecem Londrina (R$ 478,1 milhões), Maringá (R$ 449,6 milhões), São José dos Pinhais (319,6 milhões) e Cascavel (R$ 279,5 milhões). Em todo o estado, informa o estudo do Dieese, até dezembro estima-se que deverão ser injetados R$ 7,6 bilhões, na economia dos 40 principais municípios paranaenses. Em todo o estado serão R$ 9,28 bilhões.


Valor impacta em cidades da região

O Estudo do Dieese também mostrou o impacto em alguns municípios dos Campos Gerais. Depois de Ponta Grossa, o que será mais impactado pelo 13º é Telêmaco Borba. Para os 20,4 mil trabalhadores formais será pago R$ 61,7 milhões neste ano, o 20º maior valor entre as cidades paranaenses. Logo depois, aparece Castro, onde haverá a injeção de R$ 43,8 milhões neste ano, quitado a 18 mil trabalhadores formais. Também estão na lista o município de Irati, onde serão liberados R$ 25,7 milhões para 11,9 mil trabalhadores formais e Prudentópolis, onde os pouco mais de 7 mil trabalhadores com carteira assinada receberão R$ 14,2 milhões com a Gratificação Natalina até o dia 20 de dezembro.

Últimas Notícias
Ponta Grossa 07/11/2019 ás 19:50h
Vamos Ler 07/11/2019 ás 19:30h
Ponta Grossa 07/11/2019 ás 19:03h
Destaques
Fluidos Positivos
Paulo Coelho
VÍDEOS
Mix
/img/cover/300000/cover_00302240_00.jpg
+ Empregos
+ Bom Dia Astral
+ Romulo Cury
+ Variedades