menu

Industrialização e ensino integral são legados de Rangel

Após um governo de oito anos, Marcelo Rangel deixa inúmeras marcas para a cidade do bicentenário 

Nesta quinta-feira, dia 31 de dezembro, encerra-se um ciclo de oito anos do governo Marcelo Rangel em Ponta Grossa (PSDB). Um período que ficará marcado pelo grande ciclo de desenvolvimento industrial, que consolidou investimentos bilionários na cidade, que garantiram desenvolvimento econômico, geração de emprego, e melhoria na qualidade de vida dos ponta-grossenses. Investimentos os quais possibilitaram que a cidade ampliasse suas receitas e pudesse atingir um orçamento de R$ 1 bilhão neste ano de 2020. Porém, não é apenas pelo ciclo industrial que o governo ficará marcado, mas também outros legados deixados para o futuro, como o ensino integral, os voos comerciais no aeroporto, mobilidade urbana (especialmente com as ligações interbairros) e as áreas de lazer, sendo o Lago de Olarias um dos maiores desses símbolos.

No setor industrial, foram diversas grandes empresas e multinacionais, que escolheram a cidade para instalar novas fábricas, como a Ambev, a DAF e o Madero, ou então anunciaram expansões, como a Tetra Pak, Heineken, Continental, Arauco, Makita, BO Packaging, entre outras. E sem falar na Tatra, montadora de caminhões que deverá começar a produzir na cidade em agosto de 2021. “Vieram multinacionais, grandes indústrias, e as que aqui estavam estabelecidas dobraram, triplicaram a capacidade, anunciaram expansão devido aos programas do governo Estado e da Prefeitura. Se somar todas as indústrias, os investimentos, não teve na história um momento tão promissor e fantástico com relação a produtividade industrial do que nesse momento que estamos vivendo”, disse, lembrando das milhares de vagas geradas em todos os setores da economia. 

Ainda ligado ao desenvolvimento econômico, Rangel destaca também o aeroporto como um de seus maiores legados. Como ele explica, quando assumiu a prefeitura, o local não recebia voos comerciais e havia a necessidade de investimentos para revitalizar o local e deixar apto para receber voos. Além de R$ 20 milhões já aplicados, mais R$ 35 milhões já foram garantidos para novas obras no local, que para Rangel, com os voos para Campinas, São Paulo e Foz do Iguaçu, é o maior vetor de desenvolvimento econômico para a atração de indústrias, emprego e turismo. 

Na educação, é que Rangel destaca seu maior legado: a conquistas das escolas integrais pelo fato de que a educação, como ele explica, é a base de todo cidadão. E com uma educação de qualidade, a cidade vai colher frutos no futuro. Além disso, nestes últimos anos, foram construídos 27 novos CMEIs e escolas, 69 unidades foram ampliadas e mais 15 recebem em obras. “Ninguém segura a cidade de Ponta Grossa mais. Pela base construída, pelas conquistas que alcançamos, tudo isso contribui para que possamos dizer que Ponta Grossa é a cidade que mais cresce no Sul do Brasil e isso fica como legado, para que as próximas gerações possam desfrutar dos benefícios de uma cidade grande”, conclui.

Lago de Olarias é obra de destaque

No âmbito do lazer, é possível destacar revitalizações de parques, como o do Monteiro Lobato, e a criação do Parque Linear, além do Lago de Olarias, a obra que fisicamente vai ficar marcada pela execução durante o governo de Rangel, como um legado. De acordo com ele, não apenas pela obra em si, pela qualidade de vida que ele trará, mas pela transformação ao meio ambiente, pelo fato de que o arroio de Olarias era utilizado como despejo de esgoto de muitas residências – e hoje, 100% das residências que margeiam o arroio ou seus afluentes possuem esgoto. 

Últimas Notícias
Ponta Grossa 30/12/2020 ás 22:49h
Ponta Grossa 30/12/2020 ás 19:30h
Destaques
Fluidos Positivos
Paulo Coelho
VÍDEOS
Mix
/img/cover/350000/cover_00351348_00.jpg?xid=1016710
+ Empregos
+ Bom Dia Astral
+ Romulo Cury
+ Variedades