menu

Produção de grãos tem quebra de 17% nos Campos Gerais

A interferência de fenômenos climáticos impactou diretamente a produção de grãos na região dos Campos Gerais e em todo o Paraná. Na safra 2017/2018 foram produzidas 35,6 milhões de toneladas de grãos no Estado, uma redução de 15% na comparação com a safra anterior, que foi de 41,7 milhões de toneladas, segundo os números divulgados pelo Departamento de Economia Rural (Deral) da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento. Na região dos Campos Gerais, a safra de verão, dos três principais cultivos, não foi diferente, trazendo uma quebra ainda maior. Os 3,53 milhões de toneladas de grãos (soja, milho e feijão de primeira e segunda safra) foram reduzidos para 2,91 milhões, ou seja, 17,5%. 

Entre os fatores determinantes para os resultados da segunda safra estão a seca e a geada, que prejudicaram principalmente o milho e o feijão. A estiagem de mais de 40 dias que castigou o Paraná nos últimos meses influenciou negativamente a produtividade. Na região dos Campos Gerais houve o agravante de uma grande migração da produção de milho para a soja. Os quase 100 mil hectares plantados de milho foram reduzidos para 57,2 mil. Essa queda já de 42%, se somada com a redução de rendimento em 13%, fez com que a produção total de milho caísse pela metade na primeira safra, de 1,05 milhão de toneladas para 529 mil toneladas. A soja, por sua vez, que poderia ser beneficiada com o aumento de área em 6% (de 538 mil hectares para 573 mil), teve os mesmos 6% de queda na produtividade, reduzindo a apenas 0,14% o aumento na produção total, de 2,134 milhões de toneladas para 2,137 milhões de toneladas. 

O Deral estima a colheita da soja no Paraná em 19,1 milhões de toneladas, 4% abaixo dos 19,8 milhões da safra anterior – ainda assim a segunda maior da história. Entre os 19 núcleos regionais, houve o aumento na área plantada de soja em 16 deles. E a regional de Ponta Grossa foi uma das cinco que não registrou redução na produção total. Quanto ao rendimento por hectare, em apenas três regiões houve aumento na comparação com a safra passada: Francisco Beltrão, Paranavaí e Umuarama. Os maiores rendimentos foram obtidos em Francisco Beltrão (3.736 quilos por hectare), Pato Branco (3.732) e Ponta Grossa (3.728). “Apesar da redução, a perda foi compensada pelos preços melhores”, explica o chefe do Deral, Marcelo Garrido. 

Nos meses anteriores, a cultura do milho foi prejudicada pela estiagem. A produção estadual está estimada em 9,1 milhões de toneladas, volume 31% menor do que a safra anterior (13 milhões de toneladas). Nas duas safras de milho, a produção foi de 634 mil hectares, contra 1,20 milhão na anterior, o que representa uma baixa de 47,4%. Já a produção de feijão caiu de 196 mil toneladas para 146 mil toneladas, em uma redução de 25,5%. Em todo o Paraná, a produção final do período chegou a 613 mil toneladas, um resultado 21% menor que na safra 16/17, principalmente em decorrência da estiagem.



Últimas Notícias
Cotidiano 26/05/2019 ás 16:28h
Ponta Grossa 26/05/2019 ás 13:54h
Cotidiano 26/05/2019 ás 11:18h
Destaques
Fluidos Positivos
Paulo Coelho
VÍDEOS
Mix
/img/cover/260000/cover_00261074_00.jpg
+ Empregos
+ Bom Dia Astral
+ Romulo Cury
+ Variedades