menu

BB irá liberar R$ 11 bi no Paraná para o Plano Safra

Estado será responsável por financiar pouco mais de 10% dos recursos liberados pelo banco em todo o Brasil 


A pujança da agricultura do Paraná deverá elevar, em mais de 10%, a liberação de recursos para o Plano Safra 2020/2021 no Estado. A projeção é do Banco do Brasil, maior operador do desse Plano no Brasil, que estima liberar ao agronegócio paranaense R$ 11,1 bilhões entre este mês de julho e o dia 30 de junho de 2021, valor R$ 1 bilhão superior aos R$ 10,1 bilhões financiados no último ano/safra. A informação foi revelada em uma live do lançamento do Plano Safra do Banco do Brasil para o Estado, da qual participaram o superintendente do Banco do Brasil no Paraná, Fabrício Casali Reis; O secretário de Estado de Agricultura e Abastecimento, Norberto Ortigara; Antonio Carlos Wagner Chiarelo, Diretor de Agronegócios do banco no Estado; Alexandre Boechat, executivo responsável pelo agronegócio do BB no Paraná; e Luiz Antônio Digiovanni, consultor da área de seguros do Banco do Brasil.

O valor que deverá ser liberado para esta safra corresponde a pouco mais de 10% dos R$ 103 bilhões que deverão ser financiados ao agronegócio neste ano/safra no país pelo BB. O montante nacional também cresceu 10% em relação ao último período, quando foram cedidos R$ 92,5 bilhões ao campo. Chiarelo informou que há um volume de recursos mais robusto, maior em todas as áreas, e não haverá a falta de recursos para custeio, investimento e comercialização. “Outro ponto a destacar é a importância do seguro rural. Os avanços na ampliação na subvenção e novas modalidades pra pequenos produtores, o Pronaf. A sustentabilidade também é uma premissa muito forte, a agricultura de baixo carbono, então temos que provar que temos a agricultura mais competente do mundo”, ressaltou.

Boechat afirmou que nos 15 primeiros dias do mês já foram liberados mais de R$ 300 milhões aos produtores paranaenses, seja pelas agências, parceiros e soluções digitais. Ele informa que haverá, neste ano, um incremento de 10% em todos os setores. “O Plano Safra veio realista. Veio bom, com aumento na quantia de dinheiro para todas as linhas, e redução de custo para todas as linhas. No Sul dependemos mais desse modelo que o BB é o maior agente, o mais presente, que oferece todas soluções aos produtores”, resume Norberto Ortigara. As reduções nas taxas de juros foram, no custeio, de 1% para o Pronamp (de 6% para 5%) e de até 0,6% no Pronaf (que variava de 3% a 4,6% na safra anterior e agora vai para entre 2,75% e 4%); enquanto que aos demais produtores a baixa será de 2%, de 8 para 6%. Já no investimento a redução será de 1% para todas as modalidades (Moderfrota, ABC, PCA, Inovagro e Pronamp), com exceção para o Moderinfra e Moderagro, cuja queda foi de 2%, de 8% para 6%. 


Seguro rural tem novidades

O banco incorporou ainda novidades para o seguro rural, ampliando os benefícios para a agricultura familiar, consolidando sua posição como instituição financeira que mais investe no agronegócio brasileiro e paranaense. Digiovanni anunciou a ampliação da cobertura do seguro rural que nesta safra deve contar com recursos de R$ 1,3 bilhão para todo o País. Segundo ele, para as lavouras de soja e milho estão sendo disponibilizados R$ 40 milhões para um projeto-piloto em que os produtores pagarão 10% do valor do prêmio e os 90% restantes serão incorporados à linha de crédito que está sendo contratada. Essa modalidade será oferecida nas operações de crédito rural acima de R$ 30 mil.

Últimas Notícias
Agronegócio 16/07/2020 ás 21:33h
Ponta Grossa 16/07/2020 ás 20:35h
Campos Gerais 16/07/2020 ás 20:30h
Ponta Grossa 16/07/2020 ás 20:16h
Cotidiano 16/07/2020 ás 19:50h
Destaques
Fluidos Positivos
Paulo Coelho
VÍDEOS
Mix
/img/cover/330000/cover_00330609_00.jpg
+ Empregos
+ Bom Dia Astral
+ Romulo Cury
+ Variedades